O Brasil é ao oitavo país, entre os emergentes, mais atraente para investimentos no varejo, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (16) pela consultoria AT Kearney, envolvendo 30 mercados emergentes. No ano passado, o país ficou em nono.

A pesquisa também apontou que, apesar da crise que se iniciou nos EUA, os segmentos de varejo não foram afetados e que, após a eclosão da crise financeira, houve investimentos agressivos no Brasil, bem como o retorno do movimento de fusões e aquisições no varejo nacional.

Segundo o estudo, o Brasil é, pelo segundo ano consecutivo, o país que tem o maior índice de atratividade para investimentos internacionais entre todas as nações pesquisadas no segmento de varejistas de roupas (depois vêm alimentos e bebidas e eletrodomésticos).

A pesquisa aponta como causa o fato de o Brasil estar entre os mercados de vestuário com crescimento mais rápido no mundo e ser o 6ª maior em manufatura de vestuário do mundo; ter população jovem, com 60% abaixo dos 29 anos de idade; a venda per capta de vestuário no Brasil é de US$ 490, cerca de seis vezes as vendas do mercado chinês; e 46% das vendas são pagas com cartão de crédito, mesmo nível que EUA e Reino Unido.

Leia matéria da Folha Online na íntegra aqui.

 

Anúncios