O número de linhas celulares ativas em julho no Brasil cresceu 1,45% em comparação com o mês de junho, superando a barreira dos 160 milhões, segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), nesta quarta-feira (19).

O país encerrou o mês passado com 161,922 milhões de linhas móveis, o que equivale a quase um celular por habitante.

Ante os 135,33 milhões de celulares de julho de 2008, a base avançou 19,64%.

Segundo a agência, três Estados romperam a barreira de um celular por habitante: Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Até então, o Distrito Federal era o único nessa categoria.

A Vivo, maior operadora móvel do país e controlada por Telefónica e Portugal Telecom, registrou ligeiro avanço sobre junho, encerrando o mês passado com 29,38% de participação, equivalente a 47,565 milhões de linhas. Em junho, a empresa teve fatia de 29,33%.

Enquanto isso, a Claro, da mexicana América Móvil e segunda colocada, teve leve recuo, de 25,36% para 25,35%, com 41,054 milhões de clientes.

A TIM, da Telecom Italia, cresceu em julho e chegou à fatia de 23,75% contra 23,71% em junho.

A Oi, incluindo a Brasil Telecom, saiu de 21,22% em junho para 21,15% em julho.

Segundo a Anatel, de janeiro a julho foram adicionadas 11,28 milhões de linhas à base celular do país ante 14,35 milhões um ano antes.

As informações são da Reuters.

 

Anúncios