Rede social passou a barreira dos 300 milhões de usuários e revela que obteve lucro no segundo trimestre do ano, bem antes do previsto

17/09/2009 – 19:12

Pode retirar o Facebook da lista das empresas de web 2.0 que não fazem dinheiro. A maior rede social afirmou nesta quinta-feira, 17, que começou a se tornar lucrativa.

O co-fundador e CEO Mark Zuckerberg afirmou que o Facebook já passou a barreira dos 300 milhões de usuários registrados e que teve um fluxo de caixa positivo no segundo trimestre, acima do previsto. A rede social previa obter lucro somente em 2010.

Os dados são significativos por diversas razões, mas mais porque o lucro foi atingido sem o desenvolvimento integral de um negócio de publicidade.

Embora as páginas e grupos do Facebook sejam populares entre as marcas, a rede por si só segue tentando descobrir o modelo correto de publicidade, para além de displays de baixo custo. Os outros modelos de receitas ainda estão nascendo, como presentes virtuais, comércio e um sistema de pagamentos ainda em teste.

Audiência cresce

Apesar das pidas de que os jovens estão abandonando a rede ao mesmo tempo em que seus pais e avós entram, o Facebook segue crescendo a taxas gigantescas. Em julho, a empresa tinha 250 milhões de usuários, o que significa que 50 milhões entraram na rede em dois meses. Em abril, eram 200 milhões.

A chave para o lucro é a habilidade de manter os custos baixos. Zuckerberg disse que emprega um engenheiro para cada milhão de usuário. A empresa tem apenas 1 mil funcionários servindo uma base de usuários que está quase ultrapassando a população inteira dos Estados Unidos.

As receitas também crescem, saltando de US$ 150 milhões em 2007 para cerca de US$ 350 mi em 2008 e previsão de US$ 500 mi em 2009, de acordo com o membro do board do Facebook Marc Andreesen.

Receita garantida

As receitas mais sólidas do Facebook estão em um acordo de publicidade com a Microsoft, que rende US$ 150 milhões por ano. Como comparação, em seu melhor ano, o rival MySpace, da NewsCorp, teve US$ 900 milhões em receitas. Mas as receitas decaíram quase pela metade em 2008 e 2009.

A ironia do modelo da empresa é que há muitos criadores de aplicativos vendendo anúncios na rede social, sem dividir receitas com o Facebook. Uma delas, a Zynga, criador do Texas Hold´em, diz ter US$ 100 milhões em receita.

O Facebook, portanto, é lucrativo até agora. Isso pode mudar se ele decidir aumentar o staff e os investimentos em tecnologia e infra-estrutura, ou investir em novos países que estejam indo para o online. Mas não deixa de ser um sinal de que o Facebook é sim um negócio.

Do Advertising Age.

 

Anúncios