O mercado publicitário com foco nas classes C e D terão ainda mais força no uso de estratégias para campanhas e ações no mundo virtual. (Roger)

Publicado em 07.07.2010, às 08h30

Manuela AntunesDo Jornal do Commercio

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente (Sectma), em parceria com o Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep) deu, na última sexta-feira, o pontapé inicial para um projeto que prevê a instalação de 50 hotspots na Região Metropolitana do Recife (RMR). O bairro de Casa Amarela foi o primeiro a receber o serviço de wifi pública. Entretanto, nos próximos 60 dias a rede ficará apenas em teste e a população poderá usar o serviço somente nos momentos em que o sinal for liberado, o que será divulgado no local paulatinamente.

Por enquanto, Casa Amarela conta com apenas dois hotspots, mas, segundo o presidente do Itep, Frederico Montenegro, dentro de 60 dias, mais cinco pontos serão instalados em outras escolas públicas. “Esses pontos deverão cobrir cerca de 60% do bairro”, afirma Montenegro.

No momento, a rede conta com velocidade de 90 megabites (que também serão divididos entre os futuros pontos). Os hotspots que já estão em testes estão instalados ao lado da igreja do Morro da Conceição e na Escola Dom Vital, localizada próximo ao mercado público da localidade.

“Nosso backbone usa a tecnologia wimax e a antena transmissora fica instalada no Itep”, explica Montenegro. “Durante nosso teste na última sexta vimos que o ponto da Dom Vital está transmitindo o sinal num raio de 200 metros, como era esperado”, completa.

Segundo Montenegro, essa fase de testes servirá para que os técnicos possam analisar aspectos como a demanda, o perfil dos usuários, o posicionamento das antenas e a potência do sinal. “Seria muito perigoso deixarmos a rede aberta indiscriminadamente, porque ainda não estamos com nenhum tipo de cadastramento e nosso sinal poderia, até mesmo, ser desviado.”

O cadastro dos usuários só será feito após o término dos testes. “Precisamos saber qual será a demanda para depois decidirmos como faremos o controle”, detalha o secretário de Ciência, Meio Ambiente e Tecnologia, Anderson Gomes. “Nosso objetivo com o projeto é levar inclusão digital e acesso à web para a população mais carente”, diz.

De acordo com Frederico Montenegro, provavelmente o próximo bairro a ser contemplado será Peixinhos, em Olinda. Entretanto, ainda não há prazo estipulado. Espera-se que seja após o fim da implantação de Casa Amarela.

Ainda segundo Montenegro, outras áreas da RMR que podem ser contempladas são a região Oeste, mais para as proximidades de Camaragibe, e a Sul, na qual o bairro escolhido poderia ser Ibura ou Jardim São Paulo. “Mas nada disso ainda está confirmado”, adverte.

Enquanto no continente ainda será preciso esperar para ter acesso à wifi pública, no Arquipélago de Fernando de Noronha, moradores e turistas poderão dispor do serviço a partir de hoje. O secretário Anderson Gomes, inaugura, logo mais na ilha uma rede sem fio que disponibilizará cerca de 4 megas de velocidade para serem compartilhados entre todos os usuários. A previsão da Sectma é de que chegue a 10 megas em três meses.

De acordo com a secretaria, o primeiro mês será de acesso livre para todos. A ideia é que, no período, seja feito um estudo sobre a demanda. Depois, serão criados login de acesso para moradores e turistas.

Os residentes terão acesso à rede por meio do número que consta no RG. Já os turistas receberão uma senha a partir da guia de controle migratório, no momento do cadastramento no site da ilha e do pagamento das taxas de permanência. Para eles, o acesso será limitado a até duas horas por dia.

O processo de implementação foi iniciado há três meses pela CMTech Comércio & Serviços de Informática LTDA. Ao todo, são investidos R$ 585 mil na ação.

http://jc.uol.com.br/canal/cotidiano/tecnologia/noticia/2010/07/07/casa-amarela-inicia-testes-com-wifi-227895.php

Anúncios