Pesquisa realizada pela HAYS Brasil mostra que a maioria dos candidatos utiliza mídias sociais

Um levantamento realizado pela HAYS, consultoria especializada em recrutar executivos de alta e média gerência, com 350 executivos brasileiros entre maio e julho de 2010, mostra que mais de 90% deles conhecem o termo “mídias sociais” e que 87% mantêm pelo menos uma conta ativa em algum serviço relacionado. Das redes sociais citadas, o LinkedIn aparece como líder na preferência dos candidatos da HAYS, com 65%, seguido de Orkut (52,5%), Facebook (47,5%) e Twitter (26,5%). Com relação à frequência de utilização, um em cada três pesquisados afirmou acessar o serviço diariamente, enquanto 29,5% disseram utilizar as redes sociais de uma a três vezes por semana, e apenas 12,1% dos entrevistados disseram se conectar entre três e seis vezes por semana.

A preferência dos profissionais pelo LinkedIn não chega a surpreender de acordo com Rodrigo Vianna, gerente da área de expertise Sales & Marketing da HAYS em São Paulo. “Diferentemente das demais redes sociais utilizadas para comunicação interpessoal, o LinkedIn é uma ferramenta de interação e networking”, afirma. Como as informações profissionais tendem a não se alterar na mesma velocidade que as demais comunicações, Vianna explica que a frequência de acesso às redes sociais por esse grupo de profissionais é menor, mas mais efetiva, se considerado o propósito profissional.

A sondagem da HAYS revelou ainda que quase 60% dos entrevistados recorrem às mídias sociais para identificar boas oportunidades profissionais e que 40% já aplicaram o uso para uma vaga divulgada em um destes canais. “Esse resultado sugere que o mercado de mídias sociais para fins profissionais está em ampla expansão, e que há grande potencial para a área de recrutamento no Brasil”, destaca Vianna. Mas o cenário não vai se transformar da noite para o dia. Segundo o executivo, as redes sociais acrescentam uma fonte importante de informações a respeito do candidato e podem dinamizar a aproximação. “Mas a contratação de executivos de média e alta gerência ainda depende muito do contato pessoal e do networking.”

Rodrigo Vianna chama a atenção para outro fator importante. Como a convergência das informações no meio social sugere um caminho sem volta, ele aconselha as pessoas a desvincular seus perfis profissionais dos pessoais, a pessoa física da jurídica. “As redes sociais, em particular os microblogs, são ótimas ferramentas para disseminar informações de forma rápida e pulverizada. Mas é imprescindível evitar que o universo pessoal se confunda com a atividade profissional, o que pode ser prejudicial à carreira.”

HSM Online
17/09/2010

Anúncios