Um vídeo do governo britânico veiculado na internet para promover o uso de preservativos entre adolescentes está provocando polêmica após ter sido acusado de ser “pornográfico”, informa a BBC Brasil.

O YouTube, canal escolhido pelo Sistema Público de Saúde (NHS, na sigla em inglês) britânico para divulgar a campanha, adverte os usuários que as imagens são inadequadas para menores de 18 anos.

O vídeo interativo mostra um grupo de rapazes visitando uma loja de conveniência no caminho de uma festa e avaliando a possibilidade de comprar ou não preservativos.

As imagens mostram o ponto de vista de um dos adolescentes, que na festa conhece uma mulher e a leva à cama.

Caso o usuário tenha escolhido comprar preservativos durante a visita à loja, os dois mantêm relações sexuais, mas se ele não tiver comprado, é rejeitado pela mulher.

Em um dos cenários do vídeo interativo, o casal acaba mantendo relações sem preservativo, mas o personagem masculino é infectado por doenças sexualmente transmissíveis.

Mas imagens do vídeo consideradas explícitas demais provocaram críticas de organizações ligadas à defesa dos adolescentes e de controle da mídia.

Segundo a imprensa britânica, muitos funcionários do próprio Departamento de Saúde não puderam ver o vídeo porque as imagens foram bloqueadas pelo controle da rede de computadores do governo.

http://ccsp.com.br/ultimas/noticia.php?id=49137

Anúncios