O LinkedIn se encontra no hall das redes sociais mais famosas. Focada no universo corporativo, o Linkedin tem como foco principal conectar profissionais, acadêmicos e instituições. Segundo dados da própria rede, hoje o LinkedIn está presente em mais de 200 países, possui 85 milhões de membros, executivos de todas as 500 companhias mais poderosas da Fortune estão presentes na rede social, a cada um segundo a ele contabiliza um novo membro e metade dos usuários é de fora dos EUA.

O que é Linkedin?

Por ser uma rede social de nicho, nem todos os usuários da Internet conhecem o LinkedIn . Para ajudar a explicar o que é a rede, inseri um vídeo produzido pelo próprio Linkedin que explica o que é possível fazer dentro da rede social corporativa:

Anúncios Linkedin

Além de conectar profissionais, o Linkedin oferece boas ferramentas para divulgação da sua empresa ou serviços. Recentemente a ferramenta DirectAds foi liberada em versão Beta, onde é possível utilizar a grande plataforma de usuários para exibir anúncios.

A função principal dos anúncios é ajudar a pequenos empresários ou quem vê no Linkedin uma boa ferramenta de comunicação a vender seus serviços. Vale lembrar que o Linkedin oferece opções de anúncios diferenciados, parecidos com a Rede de Display do Google, mas como são formatos diferentes, tratarei sobre isso em um próximo post. Porém, quem tiver interesse, pode acessar a página de diretrizes de anúncios Linkedin.

Como fazer um anúncio?

Os anúncios do Linkedin possuem o mesmo formato do Google e Facebook: CPC (Custo Por Clique) e CPM (Custo Por Mil). Por ser um formato consagrado, acredito que os proprietários preferiram não “reinventar a roda” o que é bom para todo mundo. A criação dos anúncios se limita a três passos: criação, público-alvo e pagamento.

Criação

Para criar um anúncio no Likedin, antes de tudo, clique em “Início/Anuncie no Linkedin”.

Feito isso, a página de criação dos anúncios será aberta e, caso você conheça o Google Adwords, vai identificar muitas semelhanças com os anúncios Google. Para começar, crie um nome para a campanha. Ele é importante para agrupar campanhas com o mesmo tema. Agora, basta preencher os campos e construir o anúncio:

Crie um título atraente em 25 caracteres (tarefa difícil), defina um texto complementar, a página do anunciante e em “Go to URL” é possível definir a Landing Page. O mais legal é que você pode criar vários anúncios e usar o método “teste A/B” para identificar os mais relevantes para o seu público. Além disso, o Linkedin dá uma força e oferece várias dicas para criar anúncios caprichados, basta clicar aqui para ver algumas.

Público-alvo

Depois de criar ao anúncio, é hora de definir o perfil das pessoas que serão impactadas. É possível direcionar o anúncio de acordo com:

  • O tamanho da empresa;
  • Função exercida pelo usuário Linkedin;
  • Indústria (ou mercado);
  • Nível do cargo ocupado em uma empresa;
  • Gênero;
  • Idade;
  • Localização.

Ao iniciar a limitação do público-alvo, o próprio Linkedin informa qual o número aproximado de pessoas serão impactadas pelo anúncio, assim como o Facebook exibe.

Pagamento

Ao começar o processo de pagamento é possível definir como os anúncios serão cobrados. Ao escolher a opção por CPC, o valor mínimo para cada lance é $2.00 e por CPM, o mínimo é $3.00. Em Daily Budget, é possível definir o valor diário máximo que você pretende gastar. Aqui, a lógica é a mesma do Adwords: se o seu orçamento diário esgotar, os anúncios param de ser exibidos.

Por fim, é possível definir se sua campanha será exibida até os créditos acabarem ou em uma data específica. Definir uma data é legal para anúncios sazonais como prestação de serviços para o Natal, por exemplo.

Assim que o anúncio estiver pronto, vem a hora do “faz me rir”, ou seja, a de abrir a carteira e inserir os dados do cartão de crédito. A moeda utilizada no Linkedin para a definição dos valores dos anúncios é o dólar e os cartões de crédito aceitos são o Visa, Mastercard, American Express e o Discover.

Monitoramento

Assim que a campanha estiver no ar, o Linkedin oferece uma plataforma de monitoramento de desempenho. É possível conferir o status da campanha, orçamento diário, número de cliques, número de impressões, o famoso CTR (média entre o número de cliques x número de impressões), custo por clique e o total gasto.

Por que isso?

O Linkedin já mostrou uma grande capacidade de reunir pessoas com interesses comuns em um ambiente focado no mundo corporativo. Com um número expressivo de 85 milhões de usuário, se configura também como uma plataforma ampla para a veiculação de anúncios. Mas, você que anuncia no Google pode estar se perguntando: por que anunciar no Linkedin?

É claro que o Linkedin não é para todos e não atinge o número astronômico de usuários Google, porém muitos sabem que está havendo um inchaço de usuários do Adwords e a tendência é que fique cada vez mais caro aparecer nas páginas do Google devido à concorrência.

Além disso, se o seu público está no Linkedin (falo para empresas B2B ou prestadores de serviços, como consultores), por que não focar seus esforços em uma plataforma qualificada e que atenda ao seu nicho? Sinceramente, não sei sobre a efetividade dos anúncios no Linkedin, por isso, convido aos que já anunciaram lá a compartilhar suas experiências, assim, quem trabalha com Marketing Digital pode ter mais uma grande opção de ferramenta para divulgação.

Camila Porto – http://www.midiatismo.com.br/2010/12/anuncios-likedin-seu-servico-no-lugar-certo.html

Anúncios