Publicado em 05.01.2011

Isenção total de PIS e Cofins para modens e isenção de IPI para componentes destinados às telecomunicações. A primeira semana do ano começou com boas notícias para o setor de TIC. Será um prenúncio de outras medidas projetadas pelo novo governo para popularizar os bens de informática e o acesso às mídias digitais? O ministro das Comunicações recém-empossado, Paulo Bernardes, garante que sim.

Em seu discurso, ele se comprometeu a chamar o empresariado para conversar sobre a política industrial e novos incentivos fiscais. Também criou uma nova secretaria, de inclusão digital, prevista para iniciar operações ainda em janeiro, por meio de medida provisória. A ideia é que absorva as funções e funcionários do departamento do Ministério do Planejamento que cuidava até então do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). Não por acaso, César Alvarez, ex-coordenador do Programa de Inclusão Digital da Presidência, já foi nomeado como secretário-executivo do ministério. O destino do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) é que permanece obscuro.

Os recursos poderiam muito bem ser usados para promover a disseminação da banda larga e das ferramentas tecnológicas, fundamentais para fomentar uma política de formação de capital humano necessária à elevação do Brasil à categoria de nação desenvolvida. Isso segundo outro ministro, Aloizio Mercadante, que assumiu a pasta da Ciência e Tecnologia. Um de seus objetivos é elevar os investimentos do setor de 1,25% a 1,53% do PIB em quatro anos, vislumbrando a marca de 2,5% até a próxima década. Essa seria a condição mínima para fazer o País finalmente colocar os dois pés na sociedade do conhecimento sem olhar para trás. A conferir.

Cad Informática JC – http://jc3.uol.com.br/jornal/2011/01/05/col_50.php

Anúncios