Publicado em 26.01.2011

Microsoft corre atrás do mercado de telefonia com novo sistema operacional móvel que alia simplicidade, sofisticação e entretenimento

Jacques Waller

jwaller@jc.com.br

Concorrentes, tremei! Eis que surge o Windows Phone 7 (WP7), o novo sistema operacional móvel da Microsoft que promete entregar simplicidade, sofisticação e entretenimento numa única plataforma. O JC teve acesso ao aparelho 3G HTC Surround, um dos cinco modelos da fabricante coreana que virão com o WP7 e pode afirmar, sem medo de errar, que a empresa de tio Bill redimiu-se de todos os seus erros passados no que diz respeito a celulares.

A gigante dos softwares é uma velha conhecida do mundo móvel, já que o Windows Mobile está no mercado há dez anos. Mas basta mencionar o Mobile para qualquer usuário de smartphones mais antigo que logo surge uma careta, uma rejeição imediata. É. Ele era ruim assim. Precisou a companhia perder (muito) mercado para os concorrentes Apple e Google para que ela despertasse para a necessidade de remodelar sua plataforma mobile. E agora, são os outros que têm que se preocupar.

De cara, o WP7 mostra uma interface superior tanto ao iOS quanto ao Android. Ícones imensos em cores vibrantes, porém elegantes, entregam de imediato as funções do software: um telefone para ligações de voz, um envelope para e-mails, um balão de diálogo para mensagens, etc. E quem imagina que ícones tão grandes necessitariam de várias páginas para serem acomodados engana-se.

A interface pode ser deslizada para baixo de forma extremamente fluida. Basta passar o dedo para encontrar o que se precisa. Sem cortinas, sem virada de páginas. A solução é simples, porém surte um efeito incrível, já que poupa tempo e dá ao usuário a sensação de ter uma lista estruturada de opções, em vez de um depósito de aplicativos.

Aliás, aplicativos serão um capítulo à parte. O WP7 tem uma loja de softwares exclusiva, tal qual a AppStore e o Android Market. Batizada de Windows Marketplace, ele ainda não está disponível no Brasil, já que os aparelhos não foram lançados no País até agora. No entanto, a loja já possui mais de seis mil opções para download nos mercados onde está funcionando.

Os aplicativos ficam armazenados na única página além da tela inicial, à direita. De novo, basta deslizar a tela para acessar o menu, que segue a mesma lógica de tela contínua. O usuário pode iniciar o software desta tela ou, se preferir, copiá-lo para a tela inicial. Basta clicar e segurar o ícone, ativando o comando que aparece na tela. O usuário consegue também reorganizar os ícones, utilizando a mesma técnica de toque longo.

Um dos ícones mais importantes é o People, pessoa em inglês. Nele é possível organizar as redes sociais e os contatos do usuário. Como era de se esperar, o Facebook é a rede social nativa do WP7. Ele conta ainda com a busca do Bing e uma ferramenta que fará os gamers enlouquecerem. O WP7 está integrado ao XBox Live, à rede de jogos online do console XBox 360. Aliado ao hardware poderoso apresentado pelos aparelhos desta linha, o WP7 pode roubar espaço do iPhone, do iPad e do iPod Touch como plataforma de jogos.

Falando em hardware, o HTC Surround é bem impressionante. Tem processador de 1 GHz, 448 Mb de memória Ram, 16 Gb de armazenamento e câmera de 5 megapixels capaz de gravar em HD. Além disso, possui caixa de som externa estéreo com bastante potência. Basta deslizar a parte traseira do smartphone para liberar o alto falante, que possui um botão para ligar e desligar a caixa de som.

No fim das contas, o HTC Surround equipado com o Windows Phone 7 é uma combinação poderosa de hardware e software que promete balançar o mercado. Ainda que não haja previsão de lançamento no Brasil, é esperado que os primeiros aparelhos WP7 cheguem no País ainda este ano.

http://jc3.uol.com.br/jornal/2011/01/26/not_409595.php

Anúncios