Filed under Tecnologia no comments

CEO da Apple anunciou a nova versão do tablet que vendeu, até agora, quase 15 milhões de unidades em todo o mundo.

O próprio CEO da Apple, Steve Jobs, afastado da empresa para tratar da saúde, foi o mestre de cerimônias da apresentação do iPad 2, em São Francisco, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira, 2 – veja vídeo abaixo. Jobs afirmou que 2010 foi o ano do iPad: “Vendemos quase 15 milhões de iPads em apenas nove meses”, comemorou.

Depois de celebrar os resultados e os “produtos pós-PC” – iPod, iPhone e iPad, Jobs disse que a Apple teve, com o tablet, um ano excepcional: “Gostaríamos de seguir nesta linha. E 2011? 2011 é o ano das cópias?”, questionou, para dar uma cutucada nos mais de dez concorrentes que devem lançar seus próprios tablets. Com esse discurso, Jobs apresentou o iPad 2.

A segunda versão do tablet tem um novo chip, o que eleva, e muito, a velocidade de processamento do aparelho. O chip é A5, da própria Apple, com processador dual-core. Jobs diz que é o primeiro tablet com dual-core. O iPad 2 pesa 590 gramas e é três vezes mais fino do que o iPad 1 e ainda mais fino do que o iPhone 4. Serão lançadas duas cores, preto e branco, com modelos de 16 GB, 32 GB e 64 GB com ou sem conexão 3G.

Os preços continuam os mesmos do iPad 1, a partir de US$ 499 o modelo mais básico até US$ 829, nos modelos de 64 GB com conexão WiFi e 3G, o que contraria as expectativas de analistas que esperavam uma redução no custo do aparelho. Como esperado, a nova versão tem duas câmeras, uma frontal, para videoconferência, e outra traseira, para fotos. Também foi lançado, como acessório (não vem junto com o aparelho), um cabo de saída de vídeo HDMI e outro cabo de saída HDMI espelhado (mirrored), com definição de 1080 pixels, o que permite a conexão com TV digital.

As vendas começam nos Estados Unidos na semana que vem, no dia 11, e em mais 26 países a partir do dia 25 de março. O Brasil não está incluso nessa lista.

Mercado

Uma análise recente do banco JP Morgan estima que o mercado mundial de tablets deve chegar a US$ 25 bilhões este ano. Praticamente, a Samsung é a única concorrente (inclusive no Brasil) nesse setor: a empresa lançou o Samsung Galaxy Tab em outubro, mundialmente. A Motorola colocou seu próprio tablet no mercado norte-americano apenas há duas semanas.

No próximo dia 22, a Samsung coloca no mercado o Samsung Galaxy Tab 10.1 (10.1 é a referência ao tamanho da tela), com plataforma Honeycomb, na versão 3.0 do Android, especialmente desenvolvida para tablet. O novo tablet da Samsung também terá processador dual-core e terá dois modelos, com 16 GB e 32 GB. Ao contrário do iPad, o Galaxy Tab permite o uso como telefone e capta sinais de TV digital – analógico e digital, inclusive o sinal do Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD).

No evento Mobile World Congress, que aconteceu em fevereiro em Barcelona, quase 50 fabricantes apresentaram seus lançamentos que devem ocorrer durante este ano. São empresas como Motorola (com o Xoom, lançado agora no final de fevereiro), LG (Optimus Pad), RIM (PlayBook), HTC (Flyer), HP (TouchPad), Dell (Streak 7), Acer (Iconia) e outras, todas guiadas pelo bem-sucedido caminho da Apple com seus dispositivos pós-pc, como definiu Jobs.

Anúncios